Após dois anos, museu de história natural do UniAcademia é reaberto a visitação

Depois de dois anos fechado em razão da pandemia, o museu volta a receber público. A reserva técnica do Centro Universitário conta com mais de 80 mil peças e muito história. Entrada é gratuita

 

 

O museu do UniAcademia, localizado no prédio do Centro Universitário e do Colégio Academia, está reaberto para o público novamente, após cerca de dois anos fechado em razão da pandemia de Covid-19. Com entrada gratuita e visitação aberta de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, o espaço conta com um acervo de história natural e etnologia indígena muito rico. Ao todo, são mais de 1.700 peças em exposição e uma reserva técnica — peças em não exposição — com mais de 80 mil peças.

O museu tem área total de 12.000 m², dividida em dois pavimentos. No primeiro, há a exposição de peças de Etnologia Indígena e Africana. Em exposição, são cerca de 400 peças indígenas de etnias nacionais e africanas e 3.600 em reserva técnica. Há também, no acervo, peças de outras etnias, todas originais. No segundo andar, está o museu de história natural, com 1.300 peças de fósseis, minerais, rochas, animais, ossos e réplicas de peças raras em exposição. Há, ainda, aproximadamente 30 mil em reserva técnica.

“Os museus são utilizados como ferramentas de ensino não formal que vêm sendo cada vez mais utilizados por educadores e pesquisadores, além de um ótimo lazer e aprofundamento histórico e geográfico para toda a família. A nossa coleção material teve início em 1920 e seu enriquecimento nas décadas de 60, 70, 80 e 90, tendo como principal colecionador e responsável fundador o professor Padre Leopoldo Krieger. A exposição museológica começou em 1992, tendo sido aberto ao público em 1997″, conta Helba Helena Santos Prezoto, curadora e responsável pela monitoria do museu.

E, com tanta história, a guia e monitora do museu, Taliê Dutra, dá dicas do que os visitantes não podem deixar de apreciar. Segundo ela, há peças imperdíveis, e inclusive muito procuradas por quem passa pelo museu.

“De todas as peças em exposição, a que é sempre mais comentada e procurada pelos visitantes é a réplica do crânio do Tyrannosaurus rex. Ela veio da Alemanha em 1998. Outro exemplar que chama atenção dos visitantes é o bezerro de duas cabeças, que exemplifica um caso de mutação gênica. Tem muito peça legal exposta. Nas vitrines, por exemplo, temos uma grande biodiversidade, dentre elas destacamos a vitrine dos Artrópodes e a montagem de como são os ecossistemas brasileiros e a interação que acontece nesses ambientes”, afirma.

O museu do UniAcademia está aberto para visitação de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h. Em caso de visita guiada, o agendamento pode ser solicitado pelo e-mail: museuacademiaces@uniacademia.edu.br. Para mais informações, acesse o site do UniAcademia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *