Síndrome do Final do Ano: como não cair nela?

A psicóloga e coach Rosangela Sampaio dá dicas de como driblar o estresse gerado pelos diversos compromissos dessa época

Por Rosangela Sampaio

Ansiedade, angústia, alterações de humor, insônia ou sono em excesso, dores musculares constantes e fadiga são alguns dos sintomas que sinalizam que você pode sofrer do que chamamos de Síndrome do Final de Ano.

A agenda de compromissos começa a lotar, as lojas estão sempre cheias, o trânsito tende a piorar, a obrigatoriedade por presentes, afinal, aprendemos que é tempo de presentear as pessoas que amamos, e o momento de fazer um balanço das conquistas estabelecidas para o decorrer do ano, chegam e mais uma vez. Porém, às vezes muitos dos planos estabelecidos no início do ano ainda não saíram do papel.

Por causa disso, entramos em um ciclo de estresse e perdemos de vista os nossos objetivos. A sensação de fracasso toma conta e a tendência é lidar com a frustração, reproduzindo “mais do mesmo” comportamento.

Apesar de parecer difícil para o paciente se livrar do ciclo de estresse que está acometido, a psicoterapia tem se mostrado extremamente eficaz no tratamento. É comum receber no meu consultório pessoas com altos níveis de estresse nessa época do ano, então, no processo terapêutico o paciente é convidado a contestar as suas crenças errôneas, aprender a resolução de problemas e como melhoram o gerenciamento do seu tempo, controlando melhor suas ações e aprendendo a escolher comportamentos mais adequados para as situações desafiadoras do dia-a-dia.

Seja generoso com você: cuide-se!

Como evitar o estresse nessa época?

Mas há algumas dicas para evitar a Síndrome do Final de Ano:

– Adiante tarefas para não gerar acúmulos;

– Delegue atividades que podem ser executadas por outras pessoas;

– Diga não para compromissos que você não pode dar conta;

– Desafie suas crenças limitantes;

– Tire um tempo para você.

 

A seguir compartilho um questionário que desenvolvi para ajudar você a identificar se está sofrendo com a Síndrome do Final de Ano

1 – Altero meu humor constantemente.

  1. Concordo
  2. Discordo

2 – Estou sempre ou quase sempre agitado/estressado.

  1. Concordo
  2. Discordo

3 – Estou sempre ou quase sempre com dores musculares e/ou fadiga.

  1. Concordo
  2. Discordo

4 – Ando com dificuldades para cumprir a minha rotina.

  1. Concordo
  2. Discordo

5 – Tenho dificuldade em dizer não, assumo mais compromissos do que posso dar conta.

  1. Concordo
  2. Discordo

6 – Constantemente estou com insônia ou dormindo demais.

  1. Concordo
  2. Discordo

7 – Ando com dificuldades em minhas atividades laborais e alguns lapsos de memória.

  1. Concordo
  2. Discordo

8 – Ando consumido bebidas alcoólicas e/ou me alimentando em excesso.

  1. Concordo
  2. Discordo

9 – A minha autoestima e a minha autoconfiança estão abaladas.

  1. Concordo
  2. Discordo

10 – Não consigo identificar as minhas motivações, identificar valores e objetivos próprios.

  1. Concordo
  2. Discordo

Nenhuma resposta “1”: não possui sintomas da síndrome.

De 1 a 3 respostas “1”: exibe um ou outro comportamento da síndrome. Você precisa avaliar, checar hábitos e atitudes que podem gerar resultados negativos.

De 4 a 6 respostas “1”: apresenta uma boa parte dos sintomas da síndrome. Se a sensação angustiante se manifestar com frequência, cogite procurar um acompanhamento.

De 7 a 10 respostas “1”: possui a maioria dos sintomas da síndrome. Você cultiva hábitos prejudiciais para o seu desempenho. Está na hora de buscar auxílio profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *