Recrutador nas redes: o que as empresas analisam ao olhar seu perfil nas redes sociais

Especialistas comentam os erros mais comuns e o que evitar

Por Janaína Góes

As mídias sociais hoje em dia são um dos nossos lugares preferidos para compartilhar nossas opiniões, gostos e um pouco de nossas vidas. E isso não é ignorado pelos recrutadores das empresas. O Linkedin não é o único lugar que eles checam quanto estão analisando um candidato; Facebook, Instagram e Twitter também estão na mira.

Um estudo do site de recrutamento CareerBuilder mostrou que 43% dos recrutadores buscam informações adicionais sobre candidatos nesses espaços online. Segundo Cintia Nunes, analista de recursos humano sênior, a análise dos perfis acontece geralmente na tiragem dos currículos. “É possível entender melhor o tipo de perfil do candidato e com o que mais ele se ocupa nas horas vagas”.

Diferente do Linkedin, que possui um caráter mais profissional, Instagram e Facebook são mais descontraídos, o que leva os usuários a postarem mais brincadeiras, fotos mais ousadas e até opiniões pessoais. Mas o que será que o recrutador leva em conta ao analisar um perfil? Será que uma foto comprometedora pode te impedir de conquistar aquela vaga?

A mesma pesquisa do CareerBuilder responde que sim; 51% dos empregadores já deixaram de contratar um candidato em virtude do conteúdo que encontraram sobre eles nas redes sociais. Segundo Andreza Araújo, coordenadora de RH, é preciso tomar cuidado com a exposição excessiva nas redes sociais; “Algumas pessoas expõe demais a sua vida pessoal. Divulgam vídeos dirigindo embriagado ou cometendo atos que não são bem vistos pela sociedade”.

Para Simone Piffer, analista de recrutamento e seleção, os casos mais graves que excluem imediatamente um candidato de um processo seletivo são racismo e apologia ao crime; “Muitos candidatos acabam se descuidando ou ignorando que seja feito algum tipo de busca, e acabam revelando através de comentários ou mesmo postagens desvio de personalidade, traços agressividade ou preconceito, mau caráter, indício que mentiu ou foi contraditório ao apresentado em CV ou abordado em entrevista, dentre outros”.

Atitudes mais reprovadas

Sabe aquela sua foto mais sensual e provocativa que recebeu várias curtidas no Facebook? Ela não é bem vista por 46% dos recrutadores. É o que diz a pesquisa da CarrerBuilder que listou os comportamentos que mais provocam a rejeição dos empregadores. Em seguida, informações sobre consumo de álcool ou drogas aparecem com 41% de reprovação e com 36% as reclamações sobre ex-empregadores ou ex-colegas. Também aparecem na lista; pouca habilidade de comunicação com 32%, comentários discriminatórios com 28% e mentira sobre qualificações são 25%.

Segundo Andreza Araújo, coornadora de RH, o erro mais comum é a mentira, que pode ser descoberta ao conferir as redes sociais do candidato. “Em seleção relatam ser pessoas que ficam muito em casa, mas na internet sempre estão passeando, viajando. O problema não é passear ou viajar, mas a mentira, isto compromete todo o discurso dele. Será que o candidato mentiu apenas nisso?”.

Perfil bloqueado

Se você não quiser ter tanto cuidado aos postar nas redes, uma das alternativas e não deixar seu perfil público no caso do Facebook ou mantê-lo privado na condição de permitir que a pessoa te siga, no caso do Tumblr ou Instagram. Mas como será que essa atitude é vista pelos recrutadores?

Para Cintia Nunes, isso está longe de ser um problema; “A meu ver não, interpreto que ele não gosta de se expor a quem não conhece”. Já para Andreza, isso depende de cada recrutador; “Não tem uma regra quanto a isso. Privacidade é algo que muitos ainda prezam para algumas vagas isto é um diferencial”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *