Para melhorar o uso da tecnologia, empresas podem contar, agora, com consultoria gratuita da ITALCAM

Projeto Vitrine Digital, da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura ajuda empresas, sobretudo as pequenas e médias, a se tornarem mais competitivas

Para apoiar o desenvolvimento empresarial, preparando as empresas para as novas demandas do mercado com a aceleração da transformação digital é que a ITALCAM – Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura iniciou o ‘Vitrine Digital’. Idealizado pelo Comitê de Transformação Digital da Câmara, o projeto consiste em fazer uma avaliação do estágio tecnológico da empresa e apontar, de forma personalizada, as melhores soluções de serviços e investimentos que oferecem mais agilidade nos negócios e ajudam a conquistar mais clientes. A consultoria gratuita está disponível para empresas de todos os segmentos e não precisam ser associadas à Câmara.

“Primeiramente as empresas precisam se informar sobre este universo digital para depois, se necessário, possam fazer mudanças, adquirindo novas soluções tecnológicas ou usando melhor suas próprias ferramentas. Esse é o conceito do Vitrine Digital, alertar para que as empresas acompanhem as mudanças, pois, caso contrário, poderão estar fora do mercado ou perder oportunidades, afirma Rosario Zaccaria, vice-presidente da ITALCAM e responsável pela área de Infra­estrutura e Redes da Enel Distribuição São Paulo.

Dados desse ano, de antes da pandemia, demonstravam o quanto as pequenas empresas estavam longe do universo digital: quase 90% dos pequenos empreendimentos não tinham presença digital, segundo pesquisa do IEMI – Inteligência de Mercado. “O projeto está à disposição para prestar serviço a todas as empresas, porém as grandes já são digitalizadas, têm recursos e acesso a consultores. Por isso, o serviço será mais voltado mesmo para as pequenas e médias. Inclusive muitas nem sabem que existem ferramentas acessíveis. Este é o escopo da ITALCAM, oferecer oportunidade de comércio a quem quer fazer e não tem o recurso, e necessita de assessoria”, esclarece Zaccaria.

O passo a passo – A empresa que se interessar em receber este serviço terá algumas etapas a seguir. Na primeira fase, deverá responder a um questionário estruturado que ajuda a identificar qual nível de digitalização da empresa atualmente. As questões são referentes a processos administrativos, recursos humanos, jurídico e suprimentos, além de serem relacionadas as vendas, pós-vendas, marketing, entre outras áreas. A empresa se autoclassifica digitalmente.

Em um segundo momento, as respostas são analisadas pela consultoria da ITALCAM, que agenda uma reunião entre os dirigentes da empresa e um especialista para uma avaliação sobre como a tecnologia está sendo utilizada nos vários processos. Também são dadas orientações sobre como avançar em soluções mais adequadas ao negócio, oferecendo opções de parceiros fornecedores e, assim, fomentar o networking com as empresas italianas e brasileiras associadas à ITALCAM.

Ainda faz parte do ‘Vitrine Digital’ uma série de vídeos informativos sobre temas variados da área, como qual a melhor forma de digitalizar a empresa, quais as soluções tecnológicas disponíveis no mercado, entre outros. Os conteúdos serão produzidos por empresas de tecnologia associadas à Câmara e estarão no site e nas redes sociais da associação. Além disso, estão previstas webinars para discussão de temas relacionados a digitalização. Zaccaria espera que milhares de empresas sejam beneficiadas com o novo projeto. “Se várias empresas aderirem, podemos catalogar e verificar as médias de digitalização, fazendo escalas, talvez de 1 a 5. Assim elas saberão as suas diferenças com as demais”.

Segundo o especialista em transformação digital e customer experience Marco Lupi, fundador da Alterego, consultoria dedicada a inovação tecnológica e parceira da Câmara no ‘Vitrine Digital’, a ITALCAM entendeu os problemas comuns na área de tecnologia para muitas empresas e estruturou um serviço profissional para dar suporte real. Entre as dores das empresas, conforme explica Lupi, estão: Como começar um projeto? Transformação digital se resume em adquirir tecnologia? Quem é responsável para fazer esse processo dentro da organização? O especialista afirma que “o mais importante é gerenciar projetos de forma ágil, estando sempre pronto para corrigir rapidamente, não desenhar um projeto simplesmente em função da tecnologia, mas pensar a tecnologia como meio para a transformação”.

Para o consultor, o processo de digitalização para as empresas não é mais uma escolha, mas sim uma necessidade, seja para buscar eficiência e segurança interna ou para entender e se relacionar com os clientes. “As empresas precisam acompanhar esta aceleração, e saber que a tecnologia é necessária, indispensável, mas não suficiente. Tecnologia, junto com os processos, tem que gerar conveniência para as empresas e para os usuários que sejam clientes ou funcionários”.  Conforme Lupi, é preciso saber escolher entre as soluções disponíveis e levar em conta o momento atual da empresa. “Ter objetivos claros (quer reduzir custos? aumentar vendas?). É necessário ter projetos ambiciosos, mas divididos em steps menores, com possibilidades de rápida correção. Avaliar a tecnologia e a capacidade de um potencial fornecedor entender o negócio do cliente e ajudar no desenho dos projetos. Neste sentido, acredito também que o Vitrine Digital é ideal, pois oferece uma primeira avaliação e depois sugestões dos próximos passos dentro da jornada de digitalização”.

Piloto – O ‘Vitrine Digital’ já realizou as primeiras experiências em uma fase piloto, com empresas, entre elas a agenciadora de car­gas internacionais Moeda, que tem 14 anos de existência. “Transformação Digital é o processo em que empresas usam tecnologias digitais para solucionar problemas tradicionais, hoje é uma tendência e um caminho sem volta. A nossa empresa é uma prestadora de serviços de logística internacional integrada, cujo trabalho é a prestação de serviços fundamentada basicamente em informações documentais. Transformar as informações contidas nos documentos em informações disponíveis para o usuário é a nossa maior dificuldade. As questões do questionário do ‘Vitrine Digital’ nos ajudou a concluir que esta dificuldade pode ser minimizada através de ferramentas de software específicas para esta finalidade”, explica Flávia Vasquez, head de Operações Globais da Moeda.

Flávia conta que o maior desafio é transferir a informação contida em um documento físico disponível em rede, ou alimentar outros softwares através dela. “Hoje este processo é manual. O colaborador lê a informação e digita no computador (excel, ou software específico que precisa de tal input). Conseguir transferir uma informação física (documento) em uma informação digital (software) sem interferência humana. Sem o digitador humano – para mim é o mundo ideal”, acrescenta a executiva. Entre as demais empresas que participaram da fase piloto estão a We Communication, Lc Bespoke e Energy.

Interessados em obter este serviço podem contatar:
ITALCAM
Av. Angélica, 2.503 – 7º andar, CJ. 72  Consolação/São Paulo
+55 11 4564-4702 – associados@italcam.com.br

ITALCAM – Fundada em 1902 por um grupo de banqueiros, comerciantes e industriais italianos com a finalidade de estreitar as relações comerciais entre empresas brasileiras e italianas. É uma associação sem fins lucrativos que reúne pequenas, médias e grandes empresas. Realiza atividades de apoio a empresários, cursos de formação profissional, promoção em feiras, de eventos e congressos. Neste período de pandemia tem realizado uma série de webinars sobre assuntos referentes as áreas de comércio, indústria e agricultura. Dispõe de Desk, ou seja, estruturas de apoio a introdução de empresas italianas no mercado brasileiro; a internacionalização de empresas por meio de entes de determinadas áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *