INTEGRAL WOMAN CRIA “ABRACE O OUTUBRO ROSA E GANHE PRÊMIOS”

Parte da arrecadação do evento online, que reúne mulheres do mundo todo, será doada para o projeto “Umauma” que tem na canoagem a superação do câncer e incentivo ao esporte
Com o nome “Abrace o Outubro Rosa e Ganhe Prêmios”, no dia 15 de outubro – das 18 às 20h (Brasil), e das 22 às 24h (Portugal) –  a Integral Woman, uma rede internacional de mulheres empreendedoras que começou no Brasil,  comemora a data com  programação online pelo Zoom, prometendo muito bom humor, consciência e prêmios para os participantes.
 “Incentivar a positividade e a superação é o que mais impulsiona a vida”,  enfatiza Tânia Trevisan, criadora da Integral Woman, que promove viagens pelo mundo aliando negócios, cultura, desenvolvimento humano e profissional.
Mesmo diante da pandemia, a empresária desenvolveu uma plataforma de comércio eletrônico para mulheres, onde elas podem anunciar seus produtos gratuitamente, pagando apenas um percentual quando efetivam vendas.
Nessa edição do evento Outubro Rosa, médicos e especialistas tratarão de temas como as novidades para fazer exames preventivos e dicas para quem quer cuidar do emocional com técnicas alternativas.
Além das palestras e dos sorteios de prêmios, o evento vai incentivar doações para que mulheres diagnosticadas com câncer ou em tratamento consigam praticar a canoagem como meio de saúde e superação.
 No evento online “Abrace o Outubro Rosa e Ganhe Prêmios”, as mulheres também serão lembradas de que o ato de se cuidar pode ser essencial para evitar problemas de saúde e que tudo isso pode ser levado com mais acolhimento e leveza.
REMAR É PRECISO
Parte das doações obtidas no Outubro Rosa, da Integral Woman, serão direcionadas para o projeto “Umauma”, criado desde 2018, que ajuda mulheres diagnosticadas com câncer na prática da canoagem como meio de recuperar a autoestima, socializar e ter mais saúde.
O Umauma, que em havaiano significa mama, é um instituto sem fins lucrativos e se mantém com recursos próprios, doações e colaborações, de apoiadores e dos membros da equipe.
O movimento internacional começou com os trabalhos do Dr. Don McKenzie, médico e fisiologista canadense, que em 1996 comprovou por meio de estudos os benefícios da prática da canoagem em mulheres mastectomisadas.
 As atletas usam como veículo o barco dragão em competições de canoagem. Diferente do remo, as braçadas são feitas de frente e sem apoio.
A prática do esporte promove a redução e prevenção do linfedema (acúmulo de líquido linfático no tecido que causa inchaço ou edema). Esta é a maior descoberta dos estudos do Dr. Mackenzie.
Além disso, a prática fortalece os músculos superiores, amplia o movimento articular, melhora o condicionamento físico, a qualidade do sono e os transtornos de humor, comuns nesses pacientes.
O movimento já inspirou a formação de 11 equipes em várias cidades do Brasil e impulsiona cada vez mais mulheres no mundo todo a fazerem parte e a replicarem o esporte, que conta com mais de 240 equipes já consolidadas.
Como escreveu o grande poeta português Fernando Pessoa, Navegar é preciso, viver não é preciso, no sentido de que a vida seria muito mais perigosa do que os riscos no mar.
Hoje, vendo essas mulheres remarem, a gente percebe que, de fato, viver pode ser  impreciso pelas adversidades. Mas quando abraçamos uma causa com o amor, fé e esperança, temos aí os instrumentos de precisão para o resgate das nossas próprias vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *