Dia Nacional do Diabetes: Entenda os sintomas da doença

Presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ) destaca as complicações para os diabéticos

Dia 26/6 é celebrado o Dia Nacional do Diabetes, doença que ocorre devido ao aumento da glicemia (taxa de glicose) no sangue e causa uma série de malefícios à saúde.

Caracterizado pela diminuição ou até falta de insulina no organismo, o diabetes mellitus afeta 15,7 milhões dos brasileiros, segundo o Atlas da Federação Internacional de Diabetes (IDF), divulgado em 2021. E para informar sobre a condição, tratamentos e prevenção, o Dia Nacional do Diabetes, estabelecido em 26 de junho, é uma oportunidade de trazer à tona as complicações que a doença traz aos portadores.

Para esclarecer o assunto, Almar Bastos, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ), ressalta que muitas pessoas têm dúvidas quanto a se existe cura para a doença e isso varia de acordo com o tipo de diabetes. “A mais comum é o diabetes tipo 2 é o Diabetes do adulto, que se manifesta devido à diminuição da entrada de açúcar nas células . Esse tipo de diabetes tem muita relação com sobrepeso e representa cerca de 90% dos pacientes”, destaca o especialista.

“Já o mellitus tipo 1, é o Diabetes da Infância. Normalmente mais grave, com frequência necessita do uso de insulina em seu tratamento juntamente hipoglicemiantes orais em conjunto com a prática de atividade física regular e alimentação balanceada, de modo a controlar a doença” complementa Almar Bastos.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ) existem algumas diferenças entre o diabetes mellitus tipo 1 e 2 como, por exemplo, a causa da doença, uma vez que o tipo 1 tem origem autoimune, ou seja, os anticorpos da própria pessoa são capazes de agredir as células produtoras de insulina. Na maioria dos casos se manifesta na infância ou adolescência. O tipo 2 sofre forte influência da obesidade e sedentarismo que representa 90% dos casos por conta das alterações no estilo de vida.

“Além disso, a Covid-19, no caso dos pacientes pré-diabéticos ou diabéticos, a diminuição da imunidade se dá na maioria das vezes de maneira silenciosa. Esses indivíduos que geralmente possuem a glicemia entre 100-120 mg/dl têm a imunidade afetada e no caso de infecções virais os riscos de piora do quadro clínico é muito maior comparada a pessoas saudáveis”, explica.

Dr. Almar Bastos, ressalta ainda que na maioria dos casos não há necessidade de tomar nenhum medicamento ou suplemento para evitar a pré-diabetes, mas praticar exercícios físicos de maneira regular, pelo menos 3 vezes na semana e ter uma dieta com redução de alimentos industrializados, processados e açúcares refinados é fundamental.

Além do controle dos níveis de açúcar no sangue, o especialista ainda recomenda que os diabéticos fiquem atentos a alguns hábitos de sua rotina diária:

– Procurar manter uma dieta equilibrada;

– Praticar atividades física regularmente. Começar com caminhadas ao ar livre;

– Não fumar;

– Não consumir bebida alcóolica;

– Dormir bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *