Cia Repentistas do Corpo faz dança com humor, poesia e música, para jovens e adultos

Cia Repentistas do Corpo: dança contemporânea, teatro, poesia, percussão corporal em movimento e humor

O público frequentador dos CEUs Vila Atlântica e Perus terão a chance de ver e vivenciar a obra e o trabalho desenvolvido pelos artistas da Cia. Repentistas do Corpo. Em seu novo projeto “Repentistas do Corpo e Suas Interações Artísticas” o grupo apresenta duas obras de seu repertório, “Tupiliques – O Espetáculo” e “Lado B. Nascida em 2001 pelas mãos de seus diretores artísticos Sérgio Rocha e Cláudia Christ, a companhia imprime um DNA híbrido e eclético na concepção cênica dos trabalhos, evidenciando pontos de convergência e fricção entre a dança contemporânea, o teatro, a poesia, a percussão corporal em movimento e o humor.

Em abril, o grupo se apresentou no CEU Pêra Marmelo e em maio é a vez dos CEUS Vila Atlântica (dia 15, “Lado B” e dia 22, “Tupiliques – O Espetáculo”) Perus (dia 18, “Lado B”). O projeto “Repentistas do Corpo e Suas Interações Artísticas” foi contemplado pela 23ª edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

Tupiliques – O Espetáculo” é um trabalho destinado ao público infanto-juvenil que mistura dança, teatro, percussão corporal em movimento e humor livremente inspirado no livro “TUPILIQUES – Heranças Indígenas no Português do Brasil”, do escritor César Obeid, que traz palavras indígenas, de origem Tupi, rimadas em forma de limeriques, um tipo de poesia inglesa em que os poemas são escritos em estrofes de cinco versos e apresentam situações engraçadas ou absurdas. O grupo então recriou este universo “tupilicoso” de palavras e realiza um espetáculo lúdico e ritmado com sua marca registrada. Os poemas são dançados, cantados e falados pelo elenco, transportando crianças e adultos para este mundo novo de possibilidades que revela um Brasil de bichos, frutas, personagens do folclore, comidas e lugares, batizados pela língua Tupi.

A estrutura poética dos versos escritos em bom “tupiliquês” favoreceu a criação das músicas onde a síncope dos ritmos brasileiros se revela no Coco, no Maracatu, no Caboclinho e no Baião, servindo de mola propulsora para a movimentação coreográfica. A trilha sonora traz a assinatura do conceituado produtor musical Edson X em parceria com o diretor Sérgio Rocha e conta com a participação especial de Aguinaldo Bueno.

Ao abordar a contribuição indígena na formação de nossa língua, o espetáculo mostra um pedaço do Brasil que vivemos, falamos e comemos diariamente, convidando o público a pensar e valorizar as culturas dos nossos povos tradicionais.

“Lado B”, voltado ao público adulto, tem inspiração nascida no universo da música brega, com sua estética distorcida e gosto duvidoso, na opinião de alguns. Para além de julgamentos ou polêmicas, o espetáculo traz um mosaico de “pérolas” musicais embalando um casal em cenas de dança-teatro entre um cenário com objetos de decoração e utensílios domésticos que envolvem o público nas situações de cama, mesa e banho; proporcionando momentos de reconhecimento, identificação e transcendência.

O espetáculo é interpretado pelos artistas Cláudia Christ e Sérgio Rocha que dão vida a três casais distintos passando por momentos diferentes na vida: “Traje Imperial” mostra um dia de desatino na vida de um casal que insiste em manter as aparências; “Retrô Sexy” retrata a paixão e as ambiguidades de um casal moderno; “Sem Você Nós Dois Não Somos Ninguém” traz um casal que vive entre brigas e eterna reconciliação.

 

A trilha sonora traz nomes como Odair José, Altemar Dutra, Jane e Herondy, Bartô Galeno, Waldick Soriano, entre outros. A pesquisa sobre o contexto histórico-musical baseou-se no livro “Eu Não Sou Cachorro, Não – Música Popular e Ditadura Militar” do escritor Paulo César de Araújo; que traça um paralelo entre a produção musical “brega” e a MPB durante os anos de chumbo no Brasil.

Após a apresentação dos espetáculos, haverá um bate-papo entre o público e os artistas sobre a abordagem dos temas apresentados na obra e os processos de construção do trabalho assistido.

 

Repentistas do Corpo e Suas Interações Artísticas

O projeto “Repentistas do Corpo e Suas Interações Artísticas tem duração de 16 meses, trazendo em seu bojo uma série de atividades artísticas relacionadas ao processo de pesquisa e prática interdisciplinar da Cia. Repentistas do Corpo, pretendendo alcançar e movimentar os artistas e estudantes da dança nas comunidades e no entorno dos CEUs Perus, Pera Marmelo e Vila Atlântica, para oferecer acesso às técnicas, modos de fazer e ao pensamento artístico vivenciado pela companhia por meio de atividades de formação como oficinasateliês coreográficosvídeo palestras e bate papos após os espetáculos. O projeto também contempla a circulação de dois espetáculos do grupo, além de disponibilizar a pesquisa, a preparação física e técnica, ensaios e montagem do novo trabalho “Um Olhar Muda Tudo”.

Oficina Prática de Dança Contemporânea e Percussão Corporal

A oficina será ministrada pelo professor Sérgio Rocha e a assistente Cláudia Christ e é baseada na linguagem interdisciplinar utilizada pelo grupo em suas produções e consiste em unir exercícios básicos e intermediários de dança contemporânea à técnica de percussão corporal (extrair sons do próprio corpo), além de utilizar a voz como um recurso a mais para compor os diversos ritmos brasileiros abordados (ex: samba, maracatu, baião, etc). As aulas contam com percussão tocada ao vivo pelos professores e têm o objetivo de ensinar as técnicas utilizadas pela Cia. e preparar os alunos para uma melhor compreensão de trabalhos híbridos contemporâneos.

A duração das aulas será de duas horas e acontecerão três vezes por semana, totalizando uma carga horária de setenta e duas (72) horas/aula ao final dos três meses de trabalho em cada CEU. Para esta atividade serão disponibilizadas 40 vagas destinadas a bailarinos, atores, circenses, músicos, estudantes de artes cênicas

Ateliê Coreográfico “Da Palavra ao Movimento”

O Ateliê Coreográfico oferecerá aos participantes a oportunidade de vivenciar um processo de composição coreográfica, a partir da linguagem contemporânea e híbrida desenvolvida pela Cia. Repentistas do Corpo onde a literatura e, especialmente, a poesia são fundamentais para a concepção cênica de seus trabalhos.
Os encontros do Ateliê serão de duas horas e acontecerão três vezes por semana, totalizando uma carga horária de setenta e duas (72) horas ao final dos três meses de trabalho em cada CEU visitado. Serão disponibilizadas 40 vagas destinadas a bailarinos, atores, circenses, músicos, estudantes de artes cênicas.

Vídeo Palestra “A inspiração que vem das palavras”

Na vídeo palestra, conduzida por Sérgio Rocha e Cláudia Christ, será colocado foco na importância da literatura, especialmente a poesia, nos processos criativos da Cia. Repentistas do Corpo, que se utiliza da palavra poética para transformar a sua maneira de dançar. A palestra será acompanhada de vídeos curtos dos espetáculos para ilustrar os temas que serviram de inspiração para os trabalhos que serão apresentados durante a circulação da companhia

A atividade terá duração de duas horas e é endereçada aos participantes da Oficina de Dança e do Ateliê Coreográfico; além de professores de escolas públicas e particulares da comunidade, diretores de dança e teatro, artistas, bailarinos, atores, músicos, criadores, intérpretes e artistas performáticos que se interessem pelo tema e ao público em geral.

Pesquisa e montagem do novo espetáculo

Durante quatro meses, a companhia fará a preparação técnica e física do elenco e vai desenvolver a pesquisa de movimento e dramaturgia para o novo espetáculo “Um Olhar Muda Tudo”. Três jovens selecionados participarão do processo de criação da área de produção, operação de luz, intérprete ou apenas como ouvinte. A estreia de “Um Olhar Muda Tudo”será realizada nos CEUs Perus, Pêra Marmelo e Vila Atlântica como uma das formas de devolutiva e contrapartida para o público do entorno, da região.

Sobre a Cia. Repentistas do Corpo

A Cia. Repentistas do Corpo, fundada em 2001, é formada por artistas independentes do cenário da dança contemporânea brasileira que trazem significativa bagagem artística associada à proposta de pesquisa inusitada. A sua linha de investigação é a interdisciplinaridade entre a dança contemporânea, o teatro, a música e a percussão corporal em movimento; buscando os possíveis pontos de convergência entre estas áreas e a sua abordagem conjunta.

A inspiração para tanto vem das diferentes manifestações da cultura brasileira e suas identidades; especialmente a literatura, a música e as festas. Desta forma, estamos encontrando novos significados para nossa maneira de estar no mundo: sempre em movimento, com um corpo brasileiro.

Principais Prêmios e Seleções da Cia. Repentistas do Corpo:

Edital de Espetáculos Caixa Econômica Federal – São Paulo/SP (2002)

Prêmio Estímulo à Dança – Secretaria Municipal da Cultura – São Paulo/SP (2004)

Edital Teatro Cacilda Becker- Rio de Janeiro/RJ (2005)

Edital Quarta que Dança – Secretaria da Cultura – Salvador/BA (2006)

Editais ProAC – Secretaria da Cultura – São Paulo/SP (2006/2011/2013/2016)

Programa Municipal de Fomento à Dança da Cidade São Paulo (2007/ 2011/2015)

Edital de Chamamento SESI (2012)

Mostra ABCDança (2013 e 2015)

Virada Cultural Paulista e Circuito Cultural Paulista – São Paulo/SP (2009/2012/2013/2014/2016)

Edital CAIXA Cultural 2016/2017)

Ficha Técnica

Concepção e direção geral: Sérgio Rocha

Assistente de direção: Cláudia Christ

Criadores intérpretes: Cláudia Christ, Marcela Miyashita, Sérgio Rocha e Vitor Bassi

Desenho e operação de luz: Ari Buccioni

Trilha sonora original: Edson X

Poemas musicados: Sérgio Rocha

Operação de som: Mário Spatizziani

Cenografia, figurinos e adereços: Luciene Grecco e Cia. Repentistas do Corpo

Produção executiva: Cláudia Christ e Sérgio Rocha

Coreógrafos convidados de Lado B: Cláudia de Souza e Jorge Garcia

Site: http://ciarepentistasdocorp.wix.com/cia-repentistas-do-corpo

Facebook: Companhia Repentistas do Corpo

Serviço

“Lado B”

Duração: 50 minutos

Recomendação: 12 anos

CEU Vila Atlântica, dia 15 de maio de 2018, às 15h e às 19h30

Rua Coronel José Venâncio Dias, 840 – Jardim Nardini

Tel.: (11) 3901-8746 / 3901-8744

CEU Perus, dia 18 de maio de 2018, às 10h30 e às 15h

Rua Bernardo José de Lorena, s/n – Perus

Tel.: (11) 3915-8745

“TUPILIQUES – O Espetáculo”

Duração: 50 minutos

Recomendação: livre

Entrada franca

CEU Vila Atlântica, dia 22 de maio de 2018, às 10h e às 15h

Rua Coronel José Venâncio Dias, 840 – Jardim Nardini

Tel.: (11) 3901-8746 / 3901-8744

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *