Espetáculo Sertão Sem Fim, inspirado por vivências de mulheres do interior baiano, inicia temporada online gratuita

O espetáculo – que fez temporada presencial recentemente – fará sessões pelo Youtube a partir do dia 2 de abril. Também está programada uma live no dia 31 de março entre a atriz Tertulina Alves e o dramaturgo, diretor, ator e gestor cultural Henrique Fontes, do grupo Carmin (RN)

 A montagem se afasta do regionalismo e aproxima questões do sertão nordestino ao corpo de uma mulher que luta diariamente por sua dignidade enquanto enfrenta inúmeras injustiças e dificuldades

Sertão Sem Fim fez temporada presencial em fevereiro de 2021, num período em que a pandemia estava em números menores de contágio e óbitos diários. Na sequência, o Estado mudou de fase e os teatros fecharam novamente. A verba arrecadada com estas sessões do Teatro Sérgio Cardoso foi direcionada para a ONG Casa de Isabel, que é um centro de apoio à mulher, à criança e ao adolescente vítimas de violência doméstica e em situação de risco, localizado na zona leste da capital, no bairro Itaim Paulista.

Neste contexto, Sertão Sem Fim agora volta-se para o online e faz nova temporada do espetáculo que tem à frente a atriz Tertulina Alves. O registro em vídeo da peça será pelo Youtube da MoviCena Produções  entre 2 e 11 de abril às sextas, sábados e domingos, às 21h, de graça. Este projeto foi contemplado pelo PROAC LAB 36/2020.

COMENTÁRIOS DE IMPRENSA E CRÍTICAS SOBRE A PEÇA

Dessa temporada presencial no Teatro Sérgio Cardoso, muitas críticas e textos a respeito do espetáculo surgiram, analisando a presença da atriz em cena, o mote da pesquisa, a capacidade de transposição do tema sertão para o palco sem cair nos regionalismos ou lugares-comuns.

“É ao longe, no sertão sem fim, que esta peça convida a plateia a se enlutar e acompanhar os velórios simbólicos de vidas sertanejas. Há uma vontade de justiça no ar, e não de vingança”. Eduardo Nunomura | Carta Capital

 

“A direção de Donizeti Mazonas usufrui do corpo da atriz Tertulina Alves para apoiar a dramaturgia, propondo outras camadas. O encenador com experiência também em dança tem um olhar cinestésico para a jornada de Bastia”. Celso Faria | E-Urbanidade

“Gostei muito, uma experiência sensorial”. Ubiratan Brasil | O Estado de S. Paulo

“Sertão Sem Fim desconstrói o mito do sertão e o interioriza. Ser-tão. O espetáculo dirigido por Donizete Mazonas é muito plástico, muito bonito. A trajetória de Bastia é feita de perdas, velórios simbólicos, e muita resistência.

Luz e som são impecáveis e, no centro de tudo, Tertulina Alves, com aquele vestido vermelho. No universo machista do sertão, ela é uma mulher forte, fora da curva.Monta cavalos e segue à frente dos homens.

Em cena, uma mulher-Tertulina Alves, dizendo com garra o texto de Rudinei Borges Dos Santos. Contam, na forma de monólogo, a história de Bastia/Sebastiana, que veio ao mundo do nada – despertencida”. Luiz Carlos Merten | Blog do Merten

Pesquisa

Em 2018, a atriz Tertulina Alves retornou à Macaúbas, interior da Bahia, onde passou parte de sua infância, para colher diálogos com mulheres da região que foram unidos à história da própria Tertulina e se transformaram na peça Sertão Sem Fim.

Em cena, Tertulina interpreta Bastia, personagem que traz em seu corpo essas diferentes formas de se viver o sertão. As mulheres mais presentes na construção da personagem são a avó de Tertulina, Maria Tertulina, que nasceu  no sertão  Bahia, na região de Três Outeiros de Macaúbas e migrou para São Paulo; Maria Izabel, moradora da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas e conhecida até hoje, com mais de 80 anos, como a Rainha das Cavalgadas; e da própria Tertulina Alves, cuja infância no sertão foi marcada por um período de forte seca.

A história de Bastia é marcada por uma imensa tragédia pessoal: seu marido, o vaqueiro Dão Sálvio, foi covardemente assassinado por fazendeiros da região. O motivo da morte de Dão Sálvio era a prosperidade do casal, que trabalhou duramente durante o período de estiagem e conseguiu adquirir um rebanho de sessenta cabeças de gado. Montada em um cavalo, ela percorre a cidade com o corpo morto do marido, em busca de justiça.

“No Sudeste ainda há um imaginário sobre o sertão que o remete quase sempre à seca. Em Sertão Sem Fim buscamos pensar em outras possibilidades de retratar esse espaço. A Maria Izabel, por exemplo, é uma mulher que foi arrimo de família desde os 10 anos, tendo de trabalhar longe de casa, em espaços onde chovia com mais frequência, para que pudesse trazer sustento para a família”, conta a atriz.

Além da temporada, também está confirmada uma live pelo Instagram @projetosertaosemfim no dia 31 de março, quarta-feira, 20h, com Tertulina Alves e Henrique Fontes, dramaturgo, diretor, ator e gestor cultural natural de Manaus/AM e radicado em Natal/RN, onde construiu sua carreira no teatro desde 1989. Integrante do Grupo Carmin e sócio-fundador do espaço cultural Casa da Ribeira, Henrique tem 21 peças escritas e ganhou os Prêmios Shell, APTR, Botequim Cultural e do Humor em dramaturgia, todos no ano de 2019, pela peça A Invenção do Nordeste. O tema do encontro será o questionamento “Sertão, terra dos fortes?”.

Voltar aos sertões é voltar à aridez da vida, mas é reencontrar

flor onde há cacto – Rudinei Borges dos Santos

SINOPSE

Sertão Sem Fim faz o cruzamento da história de três mulheres da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas (BA): Maria Tertulina, Tertulina Alves (sua neta) e Maria Izabel, moradora daquela comunidade, conhecida na região como a rainha das cavalgadas. Desse cruzamento nasce a narrativa mito-poética sobre Sebastiana (Bastia).

FICHA TÉCNICA

Idealização, Pesquisa e Interpretação: Tertulina Alves

Dramaturgia: Rudinei Borges dos Santos

Direção: Donizeti Mazonas

Cenografia e Figurino: Eliseu Weide

Desenho de Luz e operação: Hernandes de Oliveira

Designer Gráfico: Hernandes de Oliveira

Música: Gregory Slivar

Operação de som: Viviane Barbosa

Fotos: Keiny Andrade

Gravação e Edição de vídeo: Osmar Zampieri

Produção Executiva: MoviCena Produções (Jota Rafaelli)

Assessoria de Imprensa: Canal Aberto

Mídias sociais: Agência CLOCKWORK

Costureira: Benê Calistro

Artesã: Cida Souza

Convidado Live: Henrique Fontes

SERVIÇO

SERTÃO SEM FIM

De 2 a 11 de abril de 2021. Sextas-feiras, sábados e domingos, 21h

Grátis | Exibição pelo canal do Youtube /movicenaproducoes

Duração: 60 min. | Classificação: Livre

Live Sertão, Terra dos Fortes?

31 de março de 2021,  quarta-feira, às 20h

Com Tertulina Alves e Henrique Fontes

Gratuito | Pelo instragam @projetosertaosemfim

Para Instagram

#sertaosemfim #proaclab #proac #mulher #mulheresdosertao #feminino #mulherbrasileira #indigena #mulherindigena #mulhernegra #mulherguerreira #roteiro #teatro #obraliteraria #obrateatral #elenco #encenação #arte #direcaodeteatro #atores #artescenicas #cultura #historia #historiadosertao #sertaobrasileiro #historiadobrasil #mulherlutadora #movicenaproducoes #canalaberto

@tertulinalimaoficial

@mazonasdonizeti

@rudineiborges_poesia

@hernandes.arte

@eliseuweide

@canal_aberto

@movicena_producoes

@clock_mktdescomplicado

@real_pretta

@kandradefotografias

@jotarafaelli

@agenciajabuticaba

@portalpepper

@gregoryslivar

@benecalistro

@marciamarquesnovaes

@diogolocci

@danival2013

@osmar.zampieri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *